Pesquisa Notícias:
   
 
INSTITUCIONAL
Sobre a Agitra
Diretoria
Estatuto Social
 
SERVIÇOS
Verbo
Convênios
Turismo
WikiTrabalho
Pesquisa Conteúdo
Fale Conosco
Acesso Restrito
 
DIÁLOGOS COM A AUDITORIA DO TRABALHO

Segurança e as Novas Tecnologias na Construção Civil

Higiene Ocupacional: Quebrando Paradigmas

Assim como a abelha colhe o mel de diferentes flores, o homem sábio aceita a essência das diferentes escrituras e vê somente o bem em todas as religiões.
Srimad Bhagavatam
10/01/2014

Câmara promete regular teto salarial

Preocupados com o vai e vem jurídico dos supersalários, parlamentares já estudam a redação de matéria que normatize o assunto

Concedida pelo Supremo Tribunal Federal (STF), a polêmica liminar que permitiu um servidor da Câmara dos Deputados voltar a receber o salário acima do limite constitucional desassossegou o recesso dos parlamentares do Legislativo. O argumento de que a Casa cortou os supersalários sem permitir aos funcionários o direito de resposta pode estender a liberação do dinheiro extra a quase 2 mil pessoas, já que vale também para os concursados do Senado. Diante desse vai e vem, parlamentares estudam a possibilidade de propor ? já em fevereiro, na volta das férias ? um projeto de lei que regulamente o teto salarial para os Três Poderes.

A primeira reunião da Mesa Diretora da Câmara está marcada para a manhã de 4 de fevereiro. Apesar de a polêmica liminar não constar na pauta, o assunto deve ser incluído, já que foi da mesa que saiu a decisão de cortar o excedente dos supersalários. De toda forma, um encontro para discutir o tema será convocado quando a notificação do STF chegar à Casa. Procurado pelo Correio, o diretor-geral da Câmara, Sérgio Sampaio, não quis se manifestar sobre o assunto e disse que o caso só será discutido após o recesso.

Na quarta-feira, a assessoria de imprensa da Casa legislativa também havia dito que não se pronunciaria, pois nenhuma das liminares concedidas pela Corte acerca do assunto trataram do mérito da questão. Até agora, o Supremo acatou o argumento do funcionário público e indeferiu dois outros pedidos para suspender o corte de salários movidos pelo Sindicato dos Servidores do Poder Legislativo (Sindilegis). O ministro do STF Marco Aurélio Mello ressaltou, no entanto, que já havia sinalizado que o ferimento ao direito do contraditório não seria aceito, apesar de ainda não ter julgado o mérito do caso.

Na decisão, o ministro diz que "a Câmara dos Deputados, em nenhum momento, intimou os servidores que podem sofrer as consequências do cumprimento da decisão do Tribunal de Contas da União (TCU) a apresentarem defesa no referido procedimento interno, de modo a estabelecer o contraditório necessário na via administrativa. A preservação de um Estado Democrático de Direito reclama o respeito irrestrito ao arcabouço normativo".

Recomendação

"A liminar é clara: não se cumpriu a norma nesse ponto muito específico. A Câmara afrontou o Estado Democrático de Direito. Nenhum dos servidores teve o direito ao contraditório. A remuneração integral dos que recebem acima do teto teria de ser restabelecida até que o Supremo termine de julgar o mérito da decisão do TCU ou que a Câmara analise caso a caso", opinou Mozart Vianna, servidor.

Apesar de ser secretário-geral da Mesa Diretora, Vianna enfatizou que não fala pela Câmara, mas apenas como funcionário público. "Se o presidente da Casa (Henrique Eduardo Alves) pedir a minha opinião ? e apenas neste caso ? vou sugerir isso a ele, além de recomendar que os parlamentares tentem, em fevereiro, um projeto para regulamentar o teto salarial nos Três Poderes", completou.

Fonte: Correio Braziliense - 10/01/2014
 
+ Clipagem

Reforma da Previdência - 44 coisas que você não pode deixar de saber - Leiam a matéria em anexo. Repense, reavalie esta Reforma da Previdência proposta. Faça sua parte, ajude na di

Negociação coletiva é importante para patrão e empregados - Por André F. WatanabeO mundo do trabalho passa por constantes mudanças. Com elas, os desafios de compreender qu

Carreiras de Estado repudiam estratégia do governo de culpar servidor pela crise econômica - O Fórum das Carreiras de Estado (Fonacate) divulgou nesta sexta-feira (1º) nota à imprensa e à sociedade repudiando a es

ANFIP - TCU suspende pagamento de bônus para aposentados - A ANFIP publicou matéria sobre a suspensão do pagamento de bônus para aposentados e pensionista. A notícia está assim re

Dívida Explode. Por que? - Dívida explode. Por que?Auditoria Cidadã da Dívida25/7/2017Hoje os jornais alegam que a dívida pública federal

+ Notícia

 
AGITRA - Associação Gaúcha dos Auditores Fiscais do Trabalho
home | Fale Conosco | localização | convênios
Av. Mauá, 887, 6ºandar, Centro, Porto Alegre / RS - CEP: 90.010-110
Fones: (51) 3226-9733 ou 3227-1057 - E-mail: agitra@agitra.org.br