Pesquisa Notícias:
   
 
INSTITUCIONAL
Sobre a Agitra
Diretoria
Estatuto Social
 
SERVIÇOS
Verbo
Convênios
Turismo
WikiTrabalho
Pesquisa Conteúdo
Fale Conosco
Acesso Restrito
 
DIÁLOGOS COM A AUDITORIA DO TRABALHO

Segurança e as Novas Tecnologias na Construção Civil

Higiene Ocupacional: Quebrando Paradigmas

O que faz o bem aos outros dá a si mesmo o maior dos presentes
Sêneca
08/01/2014

Opinião - O enterro do modelo de negócio da TV aberta

o perigo foi constatado pela produção feita pelos próprios telespectadores e divulgada nos novos suportes, seja no YouTube, seja nos blogs

Jorge da Cunha Lima

No Congresso Ibero-Americano de Cultura realizado em novembro, em Zaragoza, na Espanha, os participantes mostraram-se preocupados com as consequências culturais dos novos paradigmas tecnológicos.

Um terremoto chamado internet abalou o modelo de negócio tradicional das televisões, para as quais sustentabilidade não quer dizer respeito aos primados ecológicos, mas sobrevivência. O enterro foi de primeira, na bela cidade de Zaragoza.

Das conferências magnas realizadas por intelectuais como Frédéric Martel e das 21 mesas que testemunhei, induzi que há diagnósticos, convicções, receios e ameaças, mas pouca elaboração intelectual e filosófica sobre os valores e os conteúdos que orquestrarão as mudanças.

Uma coisa é certa: a base tradicional de sustentação e ganho das televisões abertas está esgotada. O modelo baseava-se na audiência, produto vendido a preço de ouro ou de mercado para o anunciante, público e privado. O prestígio da grade televisiva produzia uma fidelidade capaz de fixar a atenção dos telespectadores tanto no programas quanto nos "breaks" publicitários.

Com a nova tecnologia digital, a grade não é mais compulsória; cada telespectador grava ou "reserva" o programa que lhe interessa para horário de sua conveniência, excluindo, se desejar, a publicidade.

Mudou o sistema de produção e controle dos produtos, antes inteiramente dos donos das televisões. O que era produzido nos estúdios passou a ser produzido também por empresas independentes que oferecem produtos com outra dicção para as telas. Muito mais do que isso, o perigo foi constatado pela produção feita pelos próprios espectadores, com celulares transformados em filmadoras, e divulgada nos novos suportes --seja no YouTube, seja nos blogs, ou no Facebook.

Afirmou-se o já verificado: as redes constituem um meio de comunicação incontrolável. Um garoto em São Paulo que filmou o assassinato de outro garoto dentro de um camburão --o vídeo foi posteriormente difundido pelo YouTube e canais convencionais-- conseguiu a demissão de policiais. Infelizmente, também foi assassinado.

Imagine a perda de poder político das emissoras abertas. Outra ameaça que incomoda tanto as corporações como a cidadania é a perda de privacidade das pessoas e de segredos comerciais das emissoras.

Em verdade, a comunicação só teve quatro momentos exponenciais: Homero, Gutenberg, televisão e internet. Contudo, a internet não vai acabar com a TV, nem com Homero, nem com Gutenberg. A TV apenas mudou a tela da sala de jantar para outras inúmeras telas ou telinhas mais disponíveis. Até Homero, que teria compilado séculos de poesia oral em papiros, é lido num Kindle.

Só duas coisas vão mudar completamente: o modelo de negócio da comunicação, principalmente o da televisão, e a divulgação dos valores criativos, hoje realizada diretamente pela fonte.

E isso ficou visível no congresso de Zaragoza, que abrigou 500 propostas de programação alternativa e sustentável, selecionou e apresentou 21 delas, em fascinantes exposições ilustradas por seus criadores. Até o príncipe das Astúrias, presente, percebeu que as mudanças vão além das fronteiras confinadas.

Fonte: Folha de S. Paulo - 08/01/2014
 
+ Clipagem

Reforma da Previdência - 44 coisas que você não pode deixar de saber - Leiam a matéria em anexo. Repense, reavalie esta Reforma da Previdência proposta. Faça sua parte, ajude na di

Negociação coletiva é importante para patrão e empregados - Por André F. WatanabeO mundo do trabalho passa por constantes mudanças. Com elas, os desafios de compreender qu

Carreiras de Estado repudiam estratégia do governo de culpar servidor pela crise econômica - O Fórum das Carreiras de Estado (Fonacate) divulgou nesta sexta-feira (1º) nota à imprensa e à sociedade repudiando a es

ANFIP - TCU suspende pagamento de bônus para aposentados - A ANFIP publicou matéria sobre a suspensão do pagamento de bônus para aposentados e pensionista. A notícia está assim re

Dívida Explode. Por que? - Dívida explode. Por que?Auditoria Cidadã da Dívida25/7/2017Hoje os jornais alegam que a dívida pública federal

+ Notícia

 
AGITRA - Associação Gaúcha dos Auditores Fiscais do Trabalho
home | Fale Conosco | localização | convênios
Av. Mauá, 887, 6ºandar, Centro, Porto Alegre / RS - CEP: 90.010-110
Fones: (51) 3226-9733 ou 3227-1057 - E-mail: agitra@agitra.org.br