Pesquisa Notícias:
   
 
INSTITUCIONAL
Sobre a Agitra
Diretoria
Estatuto Social
 
SERVIÇOS
Verbo
Convênios
Turismo
WikiTrabalho
Pesquisa Conteúdo
Fale Conosco
Acesso Restrito
 
DIÁLOGOS COM A AUDITORIA DO TRABALHO

Segurança e as Novas Tecnologias na Construção Civil

Higiene Ocupacional: Quebrando Paradigmas

Devemos tratar nossos amigos como queremos que eles nos tratem.
Aristóteles
14/11/2013

Dilma pede para aliados rejeitarem projetos que elevem gastos do governo

Preocupada com o delicado momento econômico do País, a presidente Dilma Rousseff pediu ontem socorro aos líderes dos partidos da base aliada do governo no Congresso para que façam um pacto pela responsabilidade fiscal e evitem aprovar propostas que estourem a meta de despesas do governo. "A presidente mostrou muita preocupação. Pediu para os partidos da base aliada não votarem projetos que possam comprometer o equilíbrio fiscal", disse o líder do PMDB na Câmara, Eduardo Cunha (RJ), que participou da reunião.

Para fazer o pacto, Dilma aceitou reunir o Conselho Político do governo - formado pelos presidentes da Câmara e do Senado e pelos líderes e presidentes dos partidos aliados - na terça-feira. Pelo que se sabe, Dilma não gosta de fazer a reunião do Conselho, por considerá-las longas, sem foco e motivo para que descontentamentos de partidos sobre espaço em ministérios sejam tornados públicos.

Mas, como não tem saída para evitar que projetos com previsão de aumento de gastos de até R$ 7o bilhões sejam aprovados, ela se viu obrigada a reunir o Conselho. Na segunda-feira, vai reiterar o apelo pela responsabilidade fiscal a senadores.

De acordo com os deputados que participaram do encontro, a presidente procurou tranquilizar os presentes, dizendo que o País não está em crise. Mas advertiu que não se pode criar despesas para não aumentar o "risco Brasil", porque a crise internacional não está debelada e não se sabe como a economia mundial vai se comportar.

"Não se pode descuidar da situação fiscal, pois a situação internacional suscita dúvidas", disse Dilma, segundo o líder do PR, Anthony Garotinho (RJ), que participou das cerca de duas horas e meia de reunião.

Embaraço. Ainda segundo Garotinho, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, lembrou que as despesas estão crescendo 14%, enquanto as receitas estão subindo apenas 11%. "É preciso cuidar para que não se tenha um embaraço financeiro", disse Mantega, conforme relato de Garotinho.

Na reunião, com a presença de quatro ministros e onze líderes dos partidos da base na Câmara, Dilma comentou que o governo fez muitas desonerações nos últimos anos para garantir os empregos e o crescimento, mas agora chegou o momento de apertar o cinto e todos darem a sua contribuição, de acordo com o relato do líder do PTB na Câmara, Jovair Arantes (GO). Nesse momento, Dilma citou alguns projetos que, a seu í ver, causariam problemas. Um j deles é o do piso salarial para os agentes comunitários de saúde.

Segundo o deputado Eduardo da Fonte (PE), líder do PP, a presidente lembrou que "o momento econômico mundial não é satisfatório" e que "é preciso colaboração do Congresso para que novas despesas não sejam criadas, porque elas podem trazer embaraços financeiros para o País".

De acordo com o deputado do PP, a presidente explicou que criar novas despesas neste momento "delicado" da economia pode "trazer consequências para o Brasil".

Pelas contas do governo, os projetos que estão no Congresso para serem votados aumentam as despesas em mais de R$ 70 bilhões, mas o número pode ser muito maior porque há gastos que não estão ainda estimados. Só o projeto dos agentes comunitários de saúde representa R$ 4,4 bilhões.

Os deputados recomendaram a Dilma cobrar dos senadores, já que parte das despesas estaria sendo criada no Senado. "Isso tem causado um problema muito grande", disse o líder do PT, José Guimarães (CE).

Fonte: O Estado de S. Paulo - 14/11/2013
 
+ Clipagem

Reforma da Previdência - 44 coisas que você não pode deixar de saber - Leiam a matéria em anexo. Repense, reavalie esta Reforma da Previdência proposta. Faça sua parte, ajude na di

Negociação coletiva é importante para patrão e empregados - Por André F. WatanabeO mundo do trabalho passa por constantes mudanças. Com elas, os desafios de compreender qu

Carreiras de Estado repudiam estratégia do governo de culpar servidor pela crise econômica - O Fórum das Carreiras de Estado (Fonacate) divulgou nesta sexta-feira (1º) nota à imprensa e à sociedade repudiando a es

ANFIP - TCU suspende pagamento de bônus para aposentados - A ANFIP publicou matéria sobre a suspensão do pagamento de bônus para aposentados e pensionista. A notícia está assim re

Dívida Explode. Por que? - Dívida explode. Por que?Auditoria Cidadã da Dívida25/7/2017Hoje os jornais alegam que a dívida pública federal

+ Notícia

 
AGITRA - Associação Gaúcha dos Auditores Fiscais do Trabalho
home | Fale Conosco | localização | convênios
Av. Mauá, 887, 6ºandar, Centro, Porto Alegre / RS - CEP: 90.010-110
Fones: (51) 3226-9733 ou 3227-1057 - E-mail: agitra@agitra.org.br