Pesquisa Notícias:
   
 
INSTITUCIONAL
Sobre a Agitra
Diretoria
Estatuto Social
 
SERVIÇOS
Verbo
Convênios
Turismo
WikiTrabalho
Pesquisa Conteúdo
Fale Conosco
Acesso Restrito
 
DIÁLOGOS COM A AUDITORIA DO TRABALHO

Segurança e as Novas Tecnologias na Construção Civil

Higiene Ocupacional: Quebrando Paradigmas

Há uma regra imutável de que precisamos sempre nos lembrar: se algum objetivo bom puder ser alcançado apenas por meios maus ou afinal ele não é realmente bom, ou então ainda não chegou a sua hora.
Leon Tolstoi
27/08/2013

Turbulência atual no câmbio é minicrise, diz Mantega

Durante discurso para os empresários nesta segunda-feira (25), o ministro da Fazenda, Guido Mantega, usou a expressão ?minicrise? para se referir à atual situação econômica e cambial do país.

Na sequência, ao ser questionado pelos jornalistas se esta era a primeira vez que o ministro da Fazenda admitia que o país estava passando por uma crise, Mantega respondeu: ?O que eu falei na minha apresentação é que nós estamos administrando uma crise desde 2008, com altos e baixos. E o que eu disse é que esta turbulência de agora é inferior ao que aconteceu em 2011, 2012, com a crise europeia.?

?O que eu mostrei ali é que o Brasil, diante desta minicrise que nós falamos, ele está numa situação relativamente segura porque nós temos mais reservas, não está faltando dólar no spot (mercado à vista) e o câmbio está caindo talvez por uma virtude nossa. O real se desvaloriza mais por uma virtude, não por um defeito. Qual é a virtude? Nós temos um mercado mais líquido, mais internacionalizado, mais aberto, que é o nosso mercado de derivativos?, acrescentou

Segundo ele, desta vez a crise é menor porque os países avançados estão se recuperando. ?Essa é a boa notícia que eu tentei dar. (...) Os Estados Unidos estão se recuperando, a China parou de desacelerar e voltou a acelerar e essas são as duas locomotivas mundiais. A terceira locomotiva é a União Europeia, que pela primeira vez deu um dado positivo, saindo da recessão.?

Se este movimento se consolidar na União Europeia, com mais dois, três ou quatro resultados positivos, é possível afirmar ?que a economia mundial está saindo do buraco e vai começar a irradiar crescimento para os emergentes que, neste momento, sofreram um pouco, inclusive o Brasil?, destacou o ministro.

BC pode injetar até mais que US$ 60 bi, diz Mantega

Questionado sobre se havia uma perspectiva para o patamar do câmbio, Mantega afirmou que isso dependerá da atuação do banco central norte-americano (Federal Reserve). ?Cabe a ele fazer os movimentos que vão acalmar este mercado, desde que foi ele que causou esta turbulência. Quando começarem a retirar os estímulos e eles estiverem quantificados, o mercado se acalma. Porque o mercado fica nervoso quando ele tem indefinição?, disse.

Segundo ele, se for preciso, a injeção de US$ 60 bilhões do Banco Central pode ser ainda maior. ?Não não colocamos nada, é câmbio futuro. Só faz uma aplicação, uma aposta. (...) O Banco Central falou em US$ 60 bilhões, podemos até ter mais que US$ 60 bilhões, se for o caso. Não temos limite para isso?, disse.

Sobre o fato de o real ser uma das moedas que mais estão sofrendo ante o dólar, o ministro disse ainda que isso se deve, em parte, ao fato de ao país ter um mercado muito aberto, mas garantiu que o Brasil ?tem muita reserva, tem muita munição para enfrentar uma situação como essa?.

Segundo ele, a situação do Brasil é mais favorável que a de outros países. "Na soma dos países emergentes já houve uma redução de reservas de US$ 150 bilhões. Aqui no Brasil não caiu nenhum tostão, nenhum dólar saiu do Brasil?, afirmou.

De acordo com Mantega, em outros países o problema é de falta de dólar, o que não ocorre no Brasil. ?Aqui não falta dólar. Aqui, no mercado à vista, está sobrando, o mercado está líquido. Onde ocorre a desvalorização do real é no mercado futuro, mercado de derivativos onde os fundos ficam comprados em real. É mais por uma questão ou de fazer hedge ou é uma aposta para ganhar dinheiro?, disse.

Segundo ele, o movimento ocorre com mais intensidade no Brasil porque o país tem o mercado mais aberto, mais líquido, mais seguro de derivativos. ?Nós temos muitas reservas, o Banco Central está entusiasmado em não deixar que haja uma flutuação excessiva?, acrescentou.

Fonte: g1
 
+ Clipagem

Reforma da Previdência - 44 coisas que você não pode deixar de saber - Leiam a matéria em anexo. Repense, reavalie esta Reforma da Previdência proposta. Faça sua parte, ajude na di

Negociação coletiva é importante para patrão e empregados - Por André F. WatanabeO mundo do trabalho passa por constantes mudanças. Com elas, os desafios de compreender qu

Carreiras de Estado repudiam estratégia do governo de culpar servidor pela crise econômica - O Fórum das Carreiras de Estado (Fonacate) divulgou nesta sexta-feira (1º) nota à imprensa e à sociedade repudiando a es

ANFIP - TCU suspende pagamento de bônus para aposentados - A ANFIP publicou matéria sobre a suspensão do pagamento de bônus para aposentados e pensionista. A notícia está assim re

Dívida Explode. Por que? - Dívida explode. Por que?Auditoria Cidadã da Dívida25/7/2017Hoje os jornais alegam que a dívida pública federal

+ Notícia

 
AGITRA - Associação Gaúcha dos Auditores Fiscais do Trabalho
home | Fale Conosco | localização | convênios
Av. Mauá, 887, 6ºandar, Centro, Porto Alegre / RS - CEP: 90.010-110
Fones: (51) 3226-9733 ou 3227-1057 - E-mail: agitra@agitra.org.br